(VIDEO) Os times regionais no rugby da Nova Zelândia

Já comentamos aqui no Time de Fora que, desde a profissionalização em 1993, o rugby union vem mudando drasticamente. Além das questões salariais, de patrocínio e venda de direitos de TV, o calendário das seleções também precisou se adaptar. Contudo, a maior mudança está na criação de campeonatos com equipes no estilo franquia. Para quem curte os esportes americanos isso não é novidade. Mas há algumas diferenças, em especial dos times regionais no rugby da Nova Zelândia.

Leia mais: A realocação de times só acontece nos EUA?

Entendendo os times regionais no rugby da Nova Zelândia

A maior potência do rugby mundial decidiu fazer a transição do amador para o profissional preservando as instituições (quase) centenárias do país. Com várias uniões (que aqui no Brasil seriam chamadas de federações) abaixo do guarda-chuva da New Zealand Union, a decisão pareceu fácil. Por quê alterar o status amador de vários clubes e dividir forças? Melhor focar as atenções nas uniões, que poderiam desenvolver o esporte com mais eficiência. Para ficar mais claro, preparamos um vídeo explicando o que são essas uniões e os times regionais. Assista abaixo!

Ou seja, são as Uniões (no caso, as pessoas jurídicas das instituições) que irão fechar contratos de patrocínio, administrar os estádios e pagar os jogadores. Além do já mencionado Super Rugby (que merece um post próprio), a Nova Zelândia tem dois campeonatos nacionais, divididos em três divisões.

Campeonatos nacionais da Nova Zelândia

De agosto à outubro as 14 maiores uniões disputam o Mitre 10 Cup. O torneio tem duas divisões, com sete times em cada: a Premiership (a primeira divisão); e a Championship (a segunda divisão). O vencedor da Premiership é considerado o campeão neozelandês, claro, e o primeiro colocado da Championship disputa o acesso contra o último colocado da anterior. A partir de 2017, o laterna da segunda divisão será rebaixado diretamente.

No atual formato definido em 2006, o maior vencedor do Mitre 10 Cup é Canterbury, com oito vitórias em oito aparições na final. Waikato, Auckland e Taranaki também conquistaram um título cada. Além destas, outro destaque (negativo, talvez?) é Wellington, que foi vice-campeão quatro vezes entre 2006 e 2009 (e mais um em 2013).

Tabela com os campeonatos em que participam os times regionais do rugby na Nova Zelândia
Arte por Thomé Granemann

O outro campeonato é o Heartland Championship. Ele reúne as demais 12 uniões consideradas menores nessa espécie de terceira divisão. Aqui, apesar de não ter divisões, há duas taças em jogo: a Meads Cup, disputada em um mata-a-mata entre os quatro primeiros colocados; e a Lochore Cup, disputada entre o quinto e o oitavo em outra eliminatória (uma espécie de taça de consolação). A partir deste ano, o vencedor da Meads Cup será promovido para a Championship Division.

O Heartland também foi reformulado a partir de 2006 e a união de Wanganui é a maior vencedora da Meads Cup, com cinco taças. Outras vencedoras são Mid Canterbury (2013 e 2014), North Otago (2007 e 2010), East Coast (2012) e Wairarapa Bush (2006). Na taça de consolação, a Lochore Cup, Poverty Bay lidera com quatro títulos.

Nova Zelândia no Super Rugby

O campeonato Super Rugby merece um post por si só, mas para não deixar passar, vale mencionar o domínio que as franquias kiwis exercem sobre a competição – que existe desde 1996. Em 21 anos de campeonato, são 14 títulos divididos entre sete do Crusaders (98-00, 02, 05-06 e 08), três do Blues (96-97 e 03), dois do Chiefs (12-13), um do Highlanders (15) e outro do Hurricanes (16).

O domínio é tão grande que dos possíveis 42 finalistas, 23 vezes foram as franquias da Nova Zelândia. Isso quando duas delas não se enfrentaram na final (já cinco vezes). Na atual edição do campeonato, Crusaders, Chiefs, Blues, Hurricanes e Highlanders são cinco dos seis maiores pontuadores e são responsáveis por algumas das maiores goleadas. Sinal de que a formula para os times regionais no rugby da Nova Zelândia vai muito bem, obrigado.

Arte de capa: Thomé Granemann

Deixe seu comentário: