Muguruza x Williams: o jovem talento contra a experiência consolidada

A última vez em que Serena Williams perdeu uma partida em Roland Garros foi em 2014. Naquela época, a zebra era uma menina de 20 anos que terminara 2013 apenas na 64a posição no ranking da ATP. A americana já iniciara seu reino na primeira posição – algo que continua existindo hoje. Dois anos depois, algumas coisas mudaram e outras… Nem tanto. Ao invés de assistirmos o confronto Serena Williams x Garbiñe Muguruza na segunda rodada de um Slam, caso esse jogo aconteça será na final, já que a venezuelana naturalizada espanhola escalou posições até tornar-se a quarta melhor jogadora do mundo. E ser cotada como um dos nomes do futuro do esporte, até comparada a Williams. Hoje, já não seria uma zebra? Talvez não, mas, se pensarmos bem, vencer a Serena já é por si só um feito improvável.

Ao contrário da adversária na final do Australian Open 2016, Garbiñe Muguruza é bem mais jovem que Angelique Kerber: são 22 e 28 anos respectivamente. O estilo de jogo das duas desafiantes de Serena também é diferente: enquanto Kerber insistia em colocar mais uma bola em quadra e forçar os erros da americana, com Muguruza não tem esse papo: ela põe fogo no jogo, aumenta a velocidade da bola e busca winners e agressividade para passar por suas adversárias. Estilo que a própria melhor do mundo adota. Mais erros não forçados, provavelmente, mas encurralando o adversário com a rapidez e a intensidade de jogo.

O que temos aqui, acredito eu, é um duelo de experiência e triunfo consolidados contra o desafio do talento  jovem e inconstante que ainda precisa se afirmar entre as melhores jogadoras. Acompanhando o cenário do tênis nos últimos anos, é nítido que a espanhola é destaque na modalidade feminina e que agora está sendo apontada como favorita em confrontos. Mas também é óbvio que, desde 2013 (ou até antes), quem manda no circuito é uma pessoa só e ela não quer dar motivos para as adversárias acreditarem que podem vencer.

during day twelve of the Wimbledon Lawn Tennis Championships at the All England Lawn Tennis and Croquet Club on July 11, 2015 in London, England.
Em 2015, Serena levantou o maior trofeu. E dessa vez? (Foto de Julian Finney/Getty Images)

Vai ser um ótimo jogo, independente de qual for a vencedora. Temos como promessa muita garra, pontos incríveis, paralelas e cruzadas impossíveis e saques potentes. Aliás, como é bom ver isso em Slams. Todas as quatro vezes em que Serena Williams e Garbiñe Muguruza se enfrentaram foram na glória dos Slams. Na perspectiva, uma vitória para a “novata”, justo no Aberto que acompanhamos agora, e três triunfos da experiente. Em 2013, atropelo da americana no Australian Open: 6/2 6/0. No ano seguinte, Muguruza aparecendo pela primeira vez no circuito: 6/2 6/2 na França. Já em 2015, dois confrontos com vitória assinada por Williams: em solo australiano, 2/6 6/3 6/2; e na final de Wimbledon: 6/4 6/4. Elas estão novamente disputando o topo… Será que dessa vez será diferente?

Crédito da foto principal: Julian Finney/Getty Images

Deixe seu comentário: