Veja os destaques da primeira fase do Campeonato Brasileiro Feminino

A primeira fase do Campeonato Brasileiro Feminino terminou nesta quarta-feira, 31 de maio. Ela definiu as oito equipes classificadas para a próxima fase da competição e as duas rebaixadas. Nesse ano, a primeira fase do Campeonato Brasileiro Feminino foi dividida em dois grupos de oito equipes. Todas jogavam contra todas de seu grupo em casa e fora. Com isso, as equipes tiveram, no mínimo, três meses de calendário.

Darlene (Rio Preto) também foi convocada por Emily Lima

A situação ainda não é a ideal, mas deu mais tempo para os times se prepararem e talentos aparecerem. Esse é o caso da goleira Dani Neuhaus (Santos), convocada pela técnica Emily Lima para os amistosos contra Espanha e Islândia na próxima semana. No total, cinco das 20 convocadas estão atuando no Brasileirão feminino.

Esse é apenas um dado dos vários que vamos mostrar aqui sobre essa primeira fase do Campeonato Brasileiro Feminino.

Leia mais: A Liga dos Campeões Feminina é bem estruturada, mas (ainda) falta reconhecimento

Números gerais da fase de grupos

A competição teve um total de 112 jogos com 348 gols, o que garantiu à primeira fase uma média de 3,1 tentos por partida. Além da grande quantidade de gols, o número de empates foi baixo: 15.

Das 97 partidas com uma equipe ganhadora, 52 vitórias foram das mandantes e 45 das visitantes. Santos (SP) e Corinthians (SP) foram as melhores mandantes da competição e estão 100% jogando em seu domínio. Já a visitante mais desagradável foi o Iranduba (AM) com seis vitórias fora de casa.

Iranduba (AM), da atacante Djeni, fez a segunda melhor campanha da primeira fase

Como os grupos jogavam apenas entre si, havia uma preocupação de que um fosse mais forte que o outro. Felizmente, essa diferença não resultou em desequilíbrio e as duas chaves tiveram desempenhos semelhantes. Os Grupo 1 teve 179 gols, apenas dez a mais que o Grupo 2. Por outro lado, o Grupo 2 foi mais equilibrado e sete equipes brigaram diretamente por classificação, enquanto no Grupo 1 foram apenas cinco.

Corintianas fizeram a melhor campanha

O time de melhor campanha na primeira fase do Campeonato Brasileiro Feminino 2017 foi o Corinthians com 37 pontos. A equipe estava no Grupo 1 e estava atrás do Iranduba até a última rodada. Mas, com a derrota das amazonenses para o Kindermann (SC), bastou uma vitória para as paulistas assumirem a liderança. O Iranduba ficou com 36 pontos. O próprio Kindermann e o Audax (SP) ficaram em terceiro e quarto, respectivamente, e foram para as quartas de final.

Nenê marcou na goleada do Corinthians por 10 a 0 contra o São Francisco

Já pelo Grupo 2, a melhor campanha foi de outro time paulista. O Santos terminou a fase de classificação com 34 pontos, três a mais que o Rio Preto (SP) que foi o vice do grupo. O atual campeão Flamengo (RJ) e a Ferroviária (SP) completaram as equipes classificadas para as quartas de final.

Melhor ataque, maior goleada e artilharia

Sole James (Santos) é uma das artilheiras da competição com 13 gols, mesmo número de Byanca Brasil (Corinthians)

O melhor ataque da competição foi do Corinthians com 46 gols na primeira fase, o que dá uma média de 3,28 gols por partida. O feito é tão grande que o segundo melhor ataque é o do Rio Preto (SP) com 37 gols. Boa parte desse feito pode ser creditado à última partida das corintianas na primeira fase, contra o São Francisco (BA): 10 a 0, a maior goleada da competição.

Foi nessa partida que Byanca Brasil chegou à liderança na artilharia com 13 gols, mas ela não está sozinha. A argentina Sole James, atleta do Santos, tem a mesma quantidade e divide o ranking das goleadoras. Na sequência estão Gabriela (Corinthians) e Darlene (Rio Preto) com 11 gols cada uma.

Melhores defesas se classificaram

O Corinthians também foi a equipe com a melhor defesa da competição com apenas sete gols sofridos. A equipe sofreu média de 0,5 gols por jogo, mas não foi a única com média menor que um. Iranduba (10), Kindermann (11) e Rio Preto (13) também atingiram a marca. O Flamengo sofreu 14 gols.

Além disso, vale ressaltar que o Sport (PE) também sofreu poucos gols (12), mas como teve seis empates, acabou ficando de fora das quartas de final. Em seu lugar, entrou o Audax, único time classificado com saldo negativo de gols. Agora as atletas do Audax vão ter que provar que o ditado “ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos” está errado para chegar ao título.

Já a pior defesa foi a do Vitória da Bahia com 41 gols sofridos no Grupo 2, seguidas pelo São Francisco com 40. Lembrando que o time baiano encerrou sua participação no Grupo 1 sofrendo a maior goleada da competição.

Grandes e rebaixados

Não basta ter camisa para jogar o Campeonato Brasileiro Feminino, é preciso um bom projeto. Quem mostrou isso foram Vitória (BA) e Grêmio (RS), duas equipes tradicionais no masculino, mas que foram rebaixadas no feminino. No Grupo 2, o Vitória fez a pior campanha da primeira fase com apenas dois pontos, ou seja, não venceu na competição. Já no Grupo 1, as gaúchas venceram uma partida e terminaram com 4 pontos.

Outros times com campanhas ruins foram o São Francisco (BA) e Vitória (PE), com sete e nove pontos, respectivamente. Ambas as equipes são do mesmo Grupo 1.

Agora vem o mata-mata

São Paulo foi o estado que mais teve representantes na competição com sete das 16 equipes. Nas quartas de final não é diferente, pois cinco das oito classificadas são paulistas. Amazonas, Rio de Janeiro e Santa Catarina completam a lista com um time cada.

Os jogos de ida das quartas de final serão realizados no próximo dia 14 e os de volta no dia 21, de acordo com a tabela do campeonato no site da CBF. Os critérios são (em ordem): pontos, saldos de gol e gols na casa do adversário. Permanecendo o empate, a disputa vai para os pênaltis.

Campeonato Brasileiro Feminino
Quartas de final do Brasileirão Feminino serão disputadas dias 14 e 21 de junho

Chegou o mata-mata e, como diria Michael Jordan (livremente adaptado por nós), agora é hora de separar as meninas das mulheres.

Foto destaque: Mauro Horita/AllSports

Deixe seu comentário: