Precisamos falar da Formiga

O dia 18 de dezembro de 2016 ficou marcado como a data de despedida de uma das maiores jogadoras da seleção brasileira feminina de futebol. Após 22 anos vestindo a Amarelinha, Miraildes Maciel Mota, a Formiga, aposentou a camisa do Brasil. Aos 38 anos, a meio de campo guarda uma história grandiosa no futebol feminino. Ela já jogava na seleção principal antes das Olimpíadas terem a modalidade como esporte competitivo e participou das seis edições existentes (única atleta brasileira a estar em tantas Olimpíadas). Formiga fez parte da equipe que conquistou aquelas duas pratas sofridas em Atenas 2004 e Pequim 2008 e esteve em todas as Copa do Mundo desde 1995, tornando-se, após esses anos, a pessoa que mais defendeu o verde e amarelo brasileiro nos gramados. Formiga, a nossa eterna meio campista.

formiga-capa%cc%83o
Na Copa do Mundo de 2015, Formiga vestiu a camisa 20 em homenagem a seus anos de seleção (Foto: Agência Reuters

Quem não acompanha com tanta proximidade o futebol feminino fica surpreso e até um pouco chocado em ver a energia dessa mulher dentro de campo. Com tanta garra, força de vontade e disposição, ela deixa no chinelo muita novinha que se arrasta correndo atrás. Ah, Formiga, nós já estamos com saudades de ver você, a Marta e a Cristiane fazerem histórias no ataque brasileiro… E também te reverenciamos por tratar com tanto amor as novatas de nossa seleção, como vimos você fazer tão bem com a Andressinha e com as outras meninas. Afinal, quem seria mais apta a passar pra frente essa história que não você?

Nas Olimpíadas de 2016, Formiga foi eleita a melhor da partida contra a Coreia do Sul (Foto: Stuart Franklin/FIFA)
Nas Olimpíadas de 2016, Formiga foi eleita a melhor da partida contra a Coreia do Sul (Foto: Stuart Franklin/FIFA)

Nas Olimpíadas do Rio, quando você declarou que trocaria toda sua história no futebol feminino pelo profissionalismo da modalidade, nós, fãs, sentimos seu apelo e sua angústia. Ao longo de mais de vinte anos, você viveu a realidade do esporte no Brasil e sabe muito bem que ela passa muito longe da maravilha que é na modalidade masculina. É uma alegria te ter por aqui, mas reconhecemos que talvez em outro lugar você teria um reconhecimento maior por toda essa extensa carreira. Falta ao Brasil o entendimento de tudo o que você foi pelo esporte.

A despedida dentro de campo foi na final do Torneio de Manaus, contra a Itália, onde o Brasil foi campeão na vitória por 5 a 3. Uma medalha e uma vitória na sua despedida, com direito a levantar a taça e dar uma volta olímpica para um público apaixonado. No primeiro gol, marcado pela Bia, abrimos o sorriso na comemoração onde as jogadoras te cercaram e te reverenciaram.

Agora a gente te espera fora do gramado. Finalmente, a seleção brasileira está sendo comandada por uma mulher, mas precisamos de mais guerreiras com experiência e conhecimento do futebol para fazer com que nosso time vá mais longe. E essa história passa por você. O adeus é um até logo e a espera por você agora do outro lado do futebol. Por tudo o que se deu até aqui, obrigada, Formiga.

Crédito da foto principal: Daniel Kfouri/IstoÉ

Deixe seu comentário: