O “faz-tudo”: a função do ponteiro no vôlei

Quando um tempo é pedido no voleibol, ou quando se atinge a marca dos tempos obrigatórios, é muito comum vermos aquele papo no pé do ouvido entre técnico e levantador. O “espírito” do time, a posição de levantador no vôlei é considerada por muitos a mais importante. E não é.

O ponteiro assume esse papel, ao mesmo tempo que veste a carapuça de faz-tudo em quadra. Não é a toa que é desta posição que saem as maiores estrelas do vôlei. É claro que o levantador é sim muito importante, mas vamos ver nesse texto os reais motivos que colocaram Nalbert, Giba, Paula Pequeno, Jaque e tantos outros entre os maiores da história.

Leia mais: Do bloqueio ao ataque: a função do central no vôlei

Ataque

Como já diz o título desta matéria, o ponteiro no vôlei é o faz-tudo. No ataque, isso significa ser o atleta com maior número de recursos possíveis para virar a bola. Quando o ponteiro é acionado na rede, ele costuma estar numa posição desfavorecida, com um ou dois bloqueadores nele, e cabe a suas habilidades individuais fazerem com que a bola caia do outro lado. Então é um show de exploradas no bloqueio, largadas e efeitos diferentes quando esses jogadores atacam – Giba é um ótimo exemplo.

Você já disse isso do oposto, Vini”, e é verdade, mas o oposto costuma ser o favorecido, que encara situações melhores. Sempre postado na saída de rede, o oposto recebe as bolas que vem na pinta. Já o ponteiro ataca de qualquer lugar da quadra, normalmente nos passes menos precisos. Ainda assim, a comparação não é de todo mau: o ponteiro tem, de certa forma, características de oposto.

É comum, atualmente, ponteiros assumirem o protagonismo ofensivo em suas equipes. Natalia e Gabi estão aí para provar, sendo as grandes pontuadoras da seleção feminina nas últimas competições. Fê Garay também já fez isso entre as mulheres, e Lucarelli é essa referência entre os homens. Só voltar um pouquinho no tempo e também veremos Jaque, Giba e Paula Pequeno na mesma função.

Defesa

Então quer dizer que o ponteiro no vôlei é igual ao oposto, um virador de bola? Não, eles são os faz-tudo. Por isso, também assumem papel defensivo primordial, participam de todos os elementos de defesa e são muito cobrados por isso.

A grande diferença entre o ponteiro e todas as outras posições do vôlei é que estes atletas participam da recepção de saque. Na verdade, são eles que realmente cobrem a quadra, junto ao líbero, para recepcionar a pancada que normalmente vem do outro lado. Como no vôlei são dois ponteiros, as equipes dividem assim: um ponteiro passador, outro ofensivo. 

A seleção brasileira masculina sofreu muito com isso nos últimos anos. Fomos atropelados pela Sérvia na final da Liga Mundial 2016 por não conseguirmos aguentar a artilharia de saque que vinha do outro lado. Isso se deve, muito, ao perfil ofensivo que vem sendo cobrado cada vez mais dos ponteiros no vôlei.

São poucos os atletas na posição de ponteiro que se especializam em defender, e não digo só receber o saque, mas também cobrir o fundo de quadra e bloquear. Murilo foi um dos grandes nomes que priorizou o treino defensivo, e até cogitou ser líbero certa vez. Lucarelli, antes cogitado para ser um oposto, seguiu os mesmo passos (muito graças à tutela de Bernardinho), e as já citadas Natalia e Gabi aprimoram cada vez mais esse ponto.

É na defesa (muito mais na recepção) que o ponteiro se destaca como posição essencial no vôlei. Tenha um ponteiro que recebe bem o saque e veja seu time brilhar, com ritmo de jogo e alta rotatividade (vide o gif de Murilo acima). Tenha um ponteiro que não consegue cumprir esse papel, e veja seu time ruir sem potencial ofensivo.

Saque

Já que ele vem fazendo tudo em todas as posições, seguiremos na mesma balada para o saque. Muito bons em forçar o serviço, os ponteiros no vôlei costumam ser o ponto de equilíbrio de um esquema de saque. Ora forçando, quando se sentem bem, ora aliviando para dar ritmo de jogo.

Normalmente o ponteiro que está no saque e tem, na rede do seu time, o oposto, vai tender a aliviar um pouco o serviço. O bloqueio com esta rede será melhor, então vale a pena arriscar um contra-ataque. Agora o outro ponteiro, que saca com o levantador na rede, normalmente vai forçar.

Não há muitos segredos no saque do ponteiro no vôlei, ele tem a liberdade para se adaptar conforme seu feeling pessoal e também dependendo das situações de jogo.

O faz-tudo do vôlei, que ataca de todos os jeitos, por todos os lados, defendendo saque, ataque e bloqueio, é quase um Frankeinsten. Tem o potencial ofensivo de um oposto com a agilidade defensiva de um líbero, aliando ainda a visão de um levantador e o bloqueio de um central. N’Gapeth, o francês craque da atualidade, alia todos estes elementos com uma pitada de genialidade.

Sem papel bem definido, o ponteiro no vôlei é quem mantém o time constante durante as inconstâncias de outras funções. Por isso, é a função mais importante do vôlei.

Foto destaque: Divulgação/FIVB

Um comentário em “O “faz-tudo”: a função do ponteiro no vôlei

Deixe seu comentário: