Em decisão inesperada, Conor McGregor anuncia aposentadoria. E agora, Dana White?

A notícia veio no meio da tarde aqui no Brasil. Em um simples post na sua conta oficial do Twitter, o irlandês Conor McGregor anunciou sua aposentadoria do MMA. A mensagem do lutador já soma mais de 120 mil retweets e se tornou um dos assuntos mais comentados da rede.


Eu decidi me aposentar cedo.
Obrigado pelo queijo (gíria para dinheiro).
Nos falamos depois.

A história ainda deve render muito pano para manga nos próximos dias. Por enquanto, de oficial, só temos o posicionamento do UFC, que o retirou oficialmente da tão aguardada edição de número 200 do evento. Segundo o presidente Dana White falou na ESPN americana, o irlandês está fora por se recusar a comparecer a eventos promocionais que os lutadores são obrigados a participar antes das lutas.

Nós retiramos Conor McGreggor do UFC 200 e estamos trabalhando em outras lutas neste momento. Ele não quis aparecer, pois está na Islândia treinando. Ele disse que vir a Las Vegas ia prejudicar os treinos, mas todos os outros lutadores do evento estão vindo. Obviamente continuamos a ter boas relações com Conor. Eu o respeito como lutador e gosto dele como pessoa.

No entanto, White foi enfático ao falar sobre a possível aposentadora: “Conor está se aposentando? Só ele pode responder essa questão. Eu não sei.”

Enquanto o lutador segue incomunicável, seu treinador também se pronunciou pelo Twitter e deu pista de que o irlandês pode mesmo estar falando sério.

Bem, foi divertido enquanto durou.

O motivo por trás da decisão

Circulam duas possibilidades muito plausíveis para o anúncio inesperado. A versão que ganhou a mídia mais rapidamente foi a de que Conor McGregor teria feito uma pedida financeira muito alta, a qual não foi aceita pelo UFC. Se este foi o verdadeiro motivo e o irlandês bit the hand that feeds (mordeu a mão que alimenta), bem feito para Dana White e turma.

McGregor teve uma ascensão meteórica nos últimos anos. De completo anônimo (e sem nunca ter sido considerado o desafiante nº 1), o irlandês foi alçado a maior estrela do evento. O apogeu da sua curta carreira de apenas oito lutas no evento, sendo seu cartel de 7-1, foi a chocante vitória sobre o ex-campeão dos penas José Aldo em apenas 13 segundos. Muito do seu sucesso se deveu ao seu trash talk e uma boa dose de ganância do evento, que queria lucrar em cima do personagem.

Mas uma outra possibilidade também surgiu para a retirada do irlandês do esporte. Na semana passada, McGregor estava no córner do seu companheiro de equipe Charlie Ward, que enfrentou o português João Carvalho em um evento menor. Carvalho morreu 48h após ser nocauteado na luta, e isso teria mexido com o falastrão irlandês.

O próprio irlandês deve se pronunciar nos próximos dias para confirmar se está mesmo deixando o esporte e qual seria o motivo. De qualquer forma, os fãs de McGregor podem torcer para que a decisão não seja definitiva, como já aconteceu com outras estrelas do UFC que voltaram após anunciar a aposentadoria.

E agora, Dana White?

O UFC 200, que acontece em 9 de julho, é um evento histórico e a organização vinha trabalhando para montar um card histórico. Por mais que muitos questionem o casamento desta luta, a revanche de Conor McGregor contra Nate Diaz, o único a derrotá-lo no octógono mais famoso do mundo, seria o carro-chefe do evento. Mas na esteira da mensagem do irlandês, o bad boy americano também teria pendurado as luvas.

Eu acho que meu trabalho aqui está completo. Estou me aposentando também.

O caminho mais fácil para Dana White é promover a disputa entre José Aldo contra Frankie Edgar, que valeria o cinturão interino dos penas, a luta principal valendo o cinturão linear, já que o campeão está fora. O mesmo evento ainda conta com a primeira defesa do título de Miesha Tate contra a brasileira Amanda Nunes.

Se a decisão de Nate Diaz não for definitiva, sobra apenas uma alternativa interessante para sustentar sua posição na luta principal. O ex-campeão Georges St-Pierre está negociando um retorno ao UFC e poderia fazer a luta. St-Pierre derrotou o também falastrão Nick Diaz, irmão de Nate, em 2013.

Uma alternativa ainda mais ousada seria esperar o resultado da luta de Jon Jones contra Ovince Saint Preux, que acontece neste sábado e é válida pelo cinturão interino dos meio pesados. Se Bones Jones se sair brilhantemente nesta luta, o UFC poderia lucrar muito em cima de uma unificação de cinturões contra Daniel Cormier, que foi retirado da luta do próximo dia 23 por conta de lesão.

Foto principal: Christian Petersen/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Deixe seu comentário: