Center, Guard e Tackle: entenda as posições da linha ofensiva

Se você já acompanha o futebol americano há algum tempo ou sabe minimamente sobre o esporte já percebeu que existe muita tática e estratégia por trás de toda a pancadaria. De forma geral, o esporte é um jogo de xadrez em que as peças são pessoas tendo que executar os movimentos exaustivamente treinados de acordo com a jogada chamada. Provavelmente você sabe dizer o nome do quarterback, running back e de uns dois recebedores da sua equipe.  Mas você consegue citar o center, um guard e um tackle do seu time? Mesmo estando longe dos holofotes, o papel da linha ofensiva dentro desse jogo de estratégia é maior do que você pode imaginar.

Leia mais: Mike, Sam e Will: entenda as posições clássicas dos linebackers

Ainda usando a comparação do xadrez, se o futebol americano fosse o jogo de tabuleiro os OLs (offensive lineman) seriam os equivalentes ao peão. Seu principal objetivo é proteger o “rei” (quarterback) e abrir espaço no tabuleiro para a movimentação de outras peças (running backs e recebedores). Para isso, eles fazem um trabalho muito pouco glamouroso e de pouca evidência, mas que é essencial para o jogo como o conhecemos. Afinal, um ataque sem uma linha ofensiva de qualidade pode ser desastroso (Seattle Seahawks que o diga), já que coloca em risco a integridade física do seu quarterback e limita a produção de jardas de seu corredor.

Por isso, se você ainda confunde ou não conhece as diferenças entre os cinco “grandinhos” que ficam no empurra-empurra na linha de scrimmage, aprenda um pouco agora:

Center

Photo credit: Monica’s Dad via VisualHunt.com / CC BY

Vamos começar com o líder da OL, o center. Antes de mais nada, uma pergunta: você já tentou lançar uma bola de futebol americano para trás por debaixo de suas pernas (snap) na vida real? Os centers possuem um papel fundamental em toda jogada simplesmente por serem responsáveis por darem início a elas. Quando um time monta um huddle para ouvir as instruções do treinador, a bola fica posicionada no local em que a arbitragem indicar e é o center quem a recolhe para se preparar para o snap.

De maneira geral, a linha ofensiva executa dois tipos de jogada: proteção de passe e bloqueios para corrida. Em cada um desses tipos existem infinitas variações que exigem uma inteligência tão afiada quanto qualquer outra posição e leitura rápida dos movimentos da defesa. Não, não é só pancadaria.

O mecanismo que envolve a quantidade de defensores que irão pressionar o pocket/tentar tacklear o corredor e o número de bloqueadores para fazer a proteção ou abrir caminho (gap) é chamada de caixa (box). O ataque sempre leva vantagem quando tem mais bloqueadores do que rushers e desvantagem caso aconteça o contrário. Parece óbvio, mas nos segundos que antecedem o início da jogada, é responsabilidade do center fazer a leitura da caixa e adaptar os seus colegas de trincheira para fazer o melhor trabalho possível. Além disso, ele é o único da linha ofensiva que tem permissão pelas regras para se mexer e orientar os outros jogadores antes do início da jogada sem ser considerado uma saída falsa.

Por estarem bem no meio da linha ofensiva, os centers geralmente tem um biotipo de atletas muito mais pesados do que os outros. Dependendo da jogada, eles enfrentam quase que sozinhos um Nose Tackle (pense no Vince Wilfork) em defesas 3-4 e muitas vezes são responsáveis por segurar blitzes velozes do Mike em defesas 4-3. Além de uma sintonia incrível com o quarterback para dar o snap no momento certo da cadência do sistema ofensivo. Bons exemplos de centers da NFL são: Nick Mangold (Jets), Max Unger (Saints) e Alex Mack (Falcons).

Guards

Os guards são os jogadores de provavelmente menos glamour atuando na unidade menos glamourosa do futebol americano. Mesmo assim, muitos dos passes incríveis que você viu em jogos da NFL poderiam nunca ter acontecido se não fossem esses jogadores segurarem os defensive tackles no miolo da linha de scrimmage.

Photo credit: Keith Allison via Visual hunt / CC BY-SA

De modo geral, os guards não são muito altos  e possuem um centro de gravidade bem baixo para poder dar o combate apropriado para a posição mais pesada da defesa. Junto com o center, eles geralmente são os responsáveis por boas corridas no meio e, apesar de não serem exatamente velozes, precisam ter muita potência no bloqueio em movimento ao realizarem pulls (descolamento de posição para bloqueio) e lead block no segundo nível da defesa, onde estão os linebackers.

Vale citar também que a altura destes jogadores da OL geralmente não é muito grande principalmente se o quarterback não for muito alto. Assim, o QB consegue fazer uma leitura mais apurada da caixa e perceber espaços no meio do campo quando estiver já dentro do pocket posicionado para fazer o passe.

Graças aos guards do seu time é que geralmente seu runnning back tem boas corridas, já que anulam o tackleador em potencial mais perigoso que são os defensores do interior da linha. Grandes guards que atuam na NFL são: Kelechi Osemele (Raiders), Marshal Yanda(Ravens) e Zack Martin(Cowboys).

Tackles

Photo credit: Keith Allison via Visualhunt.com / CC BY-SA

Este é o momento em que você, que conheceu futebol americano por causa do filme “Sonho Possível” com Sandra Bullock, pode se manifestar. Originalmente chamado de “The Blind Side” (ou “O lado cego” na tradução livre), o filme conta a história real de um jogador de NFL que joga na posição de left tackle. Não à toa, uma das mais difíceis de se jogar na linha ofensiva.

Tackles são jogadores tão valorizados por serem os responsáveis pela proteção do quarterback nas extremidades da linha de scrimmage. Geralmente são jogadores muito altos, de braços longos e passada larga, já que devem cobrir uma área muito grande de espaço em um tempo muito curto de tempo. Ou você acha que é fácil estar sempre bem posicionado para tentar bloquear JJ Watt sem ter os pés ágeis o suficiente?

Os left tackles geralmente são mais reconhecidos e valorizados que os right tackles por serem responsáveis pela proteção no lado cego do quarterback – se ele for destro, como a maioria. Outra característica marcante nos tackles são os braços longos e muito fortes na hora do primeiro contato, já que os edge rushers são jogadores muito atléticos e persistentes que vão tentar a todo custo derrubar o corredor ou o QB, eles precisam garantir que o primeiro empurrão seja forte o suficiente para retardar ao máximo a segunda tentativa do defensor.

Grandes tackles da NFL atualmente são: Joe Thomas(Browns), Tyron Smith(Cowboys) e Trent Williams(Redskins).

Gostou deste artigo? Deixe nos comentários quais outras posições do futebol americano você gostaria que fossem explicadas aqui no Time de Fora!

 

Um comentário em “Center, Guard e Tackle: entenda as posições da linha ofensiva

  • 1 de junho de 2017 em 11:32
    Permalink

    Não esqueçam das posições específicas aos ST. (Long Snapper, Holder, Chutadores, Retornadores)

    Resposta

Deixe seu comentário: