Aldo e Nunes salvam o fim de semana do Brasil no fight week do UFC 200

O fight week histórico que marcou a realização do UFC 200 com três noites seguidas de eventos em Las Vegas começou desastroso para o Brasil, com a perda do único cinturão que ainda pertencia a um brasileiro. Com a derrota de Rafael dos Anjos para Eddie Alvarez no UFC Fight Night da última quinta-feira (7), o Brasil se viu sem nenhum campeão do UFC pela primeira vez em 10 anos. Claudinha Gadelha poderia mudar essa situação no TUF Finale realizado na sexta (8), mas foi novamente derrotada por Joanna Jedrzejczyk, que manteve seu cinturão das pesos palha. Sem nenhum título, José Aldo e Amanda Nunes subiram ao octógono dourado do UFC 200 com a missão de resgatar o orgulho brasileiro e não decepcionaram.

José Aldo fez uma luta cerebral contra Frankie Edgar, em duelo válido pelo cinturão interino dos pesos pena. Sob o olhar do campeão linear Conor McGregor, que assistiu a tudo da primeira fileira, o ex-campeão brasileiro se mostrou recuperado da sua derrota para o irlandês e fez uma luta perfeita. Sem afobação, soube controlar o ímpeto inicial de Edgar e, aos poucos, ir destruindo o rosto do adversário. Mesmo chutando pouco, Aldo soube encaixar golpes certeiros e venceu um duro adversário por decisão unânime.

Amanda Nunes entrou como azarona para enfrentar Miesha Tate em sua primeira defesa de cinturão e chocou a todos com uma vitória impressionante. Sem dar nenhuma chance para a americana, a Leoa de Salvador se impôs na luta em pé e desfigurou a campeã, com direito até a um nariz quebrado em pouco mais de três minutos até a paralisação do árbitro. O título histórico é o primeiro conquistado por uma brasileira no UFC.

O que vem pela frente

Com a conquista do título interino, José Aldo entra novamente em rota de colisão com Conor McGregor. O Scarface se mostrou concentrado e com uma atitude bem diferente da que o levou à derrota em poucos segundos para o irlandês, sem partir para cima de qualquer forma. McGregor está com luta marcada para o UFC 202, em revanche contra Nate Diaz no dia 20 de agosto. Independente do resultado deste confronto, a unificação dos títulos deve ocorrer ainda neste ano.

Para Amanda Nunes, o desafio deve ser contra a ex-campeã Ronda Rousey. Apesar de não ter voltado ao octógono após perder o título para Holly Holm em novembro de 2015, Rowdy segue sendo a única mulher a defender o título feminino de 61kg e seria um duelo muito interessante para a Leoa provar a qualidade da sua trocação.

Apesar de continuar sendo uma das principais lutadoras dos pesos palha, Claudinha Gadelha deve recuar alguns passos na categoria após sua segunda derrota para a campeã polonesa. Com isso, Claudinha deve servir como um desafio final para novas desafiantes até ter uma nova chance pelo título. Lutas contra Tecia Torres ou a ex-campeã da categoria Carla Esparza fazem sentido neste momento.

Depois de perder seu título, Rafael dos Anjos tem caminho incerto para retomar o cinturão. Duelos contra o ascendente Tony Ferguson, o ex-campeão do Bellator Will Brooks ou o vencedor do confronto entre o conterrâneo Edson Barboza e Gilbert Melendez fazem sentido neste momento.

Foto principal: Divulgação/UFC

Deixe seu comentário: